A GAIVOTA

Textos

LAS VEGAS
                                     LAS VEGAS
EXPLICAÇÃO:Estou publicando este texto somente agora, pois quando o escrevi, não senti firmeza. Hoje, surpreendentemente, ao relê-lo, gostei! Faz parte de uma trilogia, que colocarei nos três próximos dias. Foram escritos em 08/2010!
                                        0o0
Estou de volta. Desde o dia 04/08 estive afastado. Pretendo, dentro do meu modo de contar, me referir às observações, também do jeito de meu modo de ver, de tudo aquilo que presenciei na festiva cidade norte americana.
Contarei sobre o povo que conheci. Sobre as comidas. Sobre os hotéis. A respeito das compras inevitáveis, quando se está com a cara metade Iara, sempre pensando em agradar os filhos, o genro, as noras e, principalmente, os netos. Sobre os cassinos. A cidade. Enfim, um roteiro que, quem sabe, servirá de guia aos amigos, que porventura se interessarem em  visitar aquele monumento, prova da supremacia do homem sobre a natureza, que não foi nada nada pródiga em beleza naquela região. A não ser uma visão do horizonte, observada da altura do 31º andar do hotel, do contraste do deserto, com a cadeia de montanhas que circunda a cidade.
Posso, aqui, também, me referir à temperatura que encontrei, por volta de 42ºC, mas que pouco nos castigou, uma vez que, na quase totalidade do tempo, ficávamos em lugares fechados, na base do ar condicionado.
Injusto seria eu, se esquecesse de mencionar a validade de umas dicas fornecidas pela Roberta, mulher do Edson, nora de um grande amigo, o Alba, da Turma do Parque. Como promotora de eventos, nos forneceu um minucioso breve relato, inclusive até com preços, de onde ir, onde comer, como ir, com horários, e tudo o mais. Tim tim, por tim tim!
Aguardem, pois!
OoO

                             LAS VEGAS. O POVO

As observações ora apresentadas sobre o povo americano, não são novidades, pois já estive nos EUA inúmeras vezes.
De início, vejam bem, é minha opinião, não posso dizer que se trata de um povo hospitaleiro. Ele procura dar toda comodidade ao turista. Facilita o máximo possível a vida do visitante. Porém, jamais virá lhe procurar para saber se está tudo bem, se você está gostando. Por exemplo, cheguei ao hotel após quase 24 horas da saída de casa, pensa que havia alguém para pegar nossas malas para o “check in”? Que nada! Tive de me virar sozinho!
Las Vegas, como todo mundo sabe, é um centro turístico visitado por gente de toda parte. Mas o que impressiona são os americanos. Raramente, você se depara com um deles, sem que esteja o cidadão com as duas mãos ocupadas. Uma com um copo de bebida, ou a própria garrafa, e a outra com algo para comer. Soma-se isso, o incrível breakfast que ele consome como primeira refeição, e as demais feitas durante o dia, é perfeitamente justificável o alto índice de obesos existente naquele país. E gente de todas as idades. Vi muitos casais, inclusive bem jovens que, sem dúvida, não dá para se conceber os dois usarem o mesmo quarto para dormir. Não a mesma cama! O quarto, de tão gordos! Mesmo assim, sempre com as duas mãos carregadas!
Um exagero!

Aristeu Fatal
Enviado por Aristeu Fatal em 01/06/2012
Alterado em 01/06/2012


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras